Skip navigation (Press enter)

Guille e o restante da MIBR ainda estão confiantes apesar da derrota no Overtime na chave de cima

Após a triste derrota para a Ninja in Pyjamas, o SiegeGG conversou com o analista da MIBR Guille sobre as chances do seu time e a mentalidade para o último dia de competição amanhã.

Guille e o restante da MIBR ainda estão confiantes apesar da derrota no Overtime na chave de cima

Pode até ser o primeiro Six Invitational para esse elenco da MIBR, e apenas o terceiro evento internacional, mas o time certamente já superou as expectativas de ambos analistas e dos fãs.

Munidos de apenas autoconfiança e suas próprias ideias de jogo, os jogadores já garantiram pelo menos a terceira posição no Invitational deste ano.

“Se o invitational terminasse hoje, eu já estaria muito orgulhoso”, disse o analista da MIBR Guilherme “Guille” Scalfi depois da partida da chave de vencedores hoje. “Eles têm sido tão fortes, eles têm muito coração e uma mentalidade ótima.”

Antes do evento, ele foi modesto sobre as chances da MIBR, dizendo que um Top 8 já o deixaria “muito orgulhoso”.

O seu principal receio era a pressão que cai em cima de times com pouca experiência internacional, identificando isso como o “maior inimigo” que os jogadores teriam que enfrentar.

Reduct (foto), Faallz, e LuKid  são os únicos jogadores com experiência internacional na MIBR, tendo jogado pela Team oNe.

Apesar disso, parece que eles mal sentiram tal pressão em sua campanha até aqui. Nos playoffs, a forte Oxygen Esports caiu para eles por 2-0 (8-7, 7-5) após vencerem a Team Liquid pelo mesmo placar nas quartas de final. 

Na fase de grupos, a MIBR já tinha vencido a Oxygen Esports (7-4), a Ninjas in Pyjamas (8-7), a MKERS (7-4), a Giants Gaming (7-2) e a Parabellum (7-5). No entanto foram derrotados pela TSM (2-7) e também pelos atuais campeões da Spacestation Gaming (7-8).

A Final da chave superior de hoje teve a MIBR vencendo o primeiro mapa (7-5), mas depois perdendo o segundo (4-7) e o terceiro, que foi até o máximo possível no overtime (7-8). Porém apesar da derrota, os jogadores não ficaram abatidos.

“O último mapa, Clube, [a NiP] estava vencendo por 5-1, certo? E (nós) quase… quase conseguiu a virada!” disse o Guille em uma chamada no Discord, revelando uma atmosfera mais positiva do que muitos esperavam.

“Eu conversei com eles após essa partida e os meus jogadores estão totalmente relaxados e muito bem", ele continua. “Nosso foco ainda é no torneio. Eles não estão derrotados mentalmente.”

Embora seja um espectador nervoso durante as partidas da MIBR, Guille e o resto da MIBR ainda estão confiantes.

 

Apesar do peso da ocasião e a experiência de todos os seus oponentes em relação a eles, os jogadores da MIBR têm tratado cada jogo como nada além de “mais um jogo”.

Isso não é falta de preparação, no entanto, com Guille revelando que eles têm se preparado principalmente analisando as performances da NiP no Invitational até aqui.

“Nosso principal objetivo era não dar espaço para a NiP pensar," ele explicou. “Se você pressionar o Psycho, você ganha uma grande vantagem.”

A mentalidade forte é também refletida nos sentimentos de Guille sobre a falta de Overtime infinito em todas as partidas fora da Grande Final.

“Overtime infinito seria uma bagunça para a produção,” ele disse, ainda capaz de focar em possíveis problemas com o calendário do torneio apesar da triste derrota depois de 15 rounds para a NiP. “Algumas partidas podem ir à 12-12!”

”Eu realmente gosto da idéia, o time que tem mais resiliência venceria, mas eu acho que isso seria muito ruim para o evento.”

Embora o título de time mais resiliente tenha ido para a NiP hoje, os jogadores da MIBR não ficaram muito atrás de seus compatriotas, optando até por trocar uma seleção de operadores com um pick de Tachanka no último round possível do mapa decisivo.

“Bom, a ideia era de negar a execução da NiP no bombsite,”, explicou Guille. “Nós tínhamos Tachanka, tínhamos Smoke, tínhamos algumas C4.”

“Mas, eu acredito que a principal parte desse round foi o JULIO puxando a escada de metal (e assim distraindo Faallz, que estava de Tachanka). Se o Faallz tivesse conseguido usar todos [os molotovs], eu acho que ele teria conseguido gastar tempo o suficiente… mas, tudo bem.”

Agora, a MIBR visa dar o seu melhor na sua segunda chance de ir à Grande Final. Para isso, os jogadores enfrentarão a Team Liquid na Final da chave de baixo antes de terem sua revanche contra a NiP, mas dessa vez em uma MD5 e com um mapa de vantagem para seus oponentes.

“Nossa preparação é a seguinte… Eu preparei quatro mapas [que] a NiP (joga) e p Reduct, nosso IGL, fez dois ou três, então o estudo para a NiP está pronto,” ele afirma, com toda essa preparação tendo sido feita antes da Final da chave de cima de hoje.

Assim, o time pode focar totalmente a Team Liquid, o time que eles mandaram para a Chave de baixo nas quartas de final.

“Agora nós vamos assistir (a partida entre TSM e Liquid) novamente. Nós vamos ver as estatísticas dos mapas, quantas vitórias, quantas derrotas… isso, eu acho, que será o primeiro passo que devemos tomar,” explica Guille.

“Essa partida (NiP vs MIBR) é um clássico aqui na LATAM,” ele continua, animado com a chance de ser a Grande Final também. “Eu acho que a comunidade inteira olha para essa partida pois eles sabem que esse é O clássico aqui.”

As performances dos times brasileiros foram inacreditáveis aqui no Sic Invitational, com o título agora garantido de ir para o Brasil pela primeira vez, e a MIBR não é exceção.

A MIBR então se prepara para potencialmente jogar sete mapas em sequência amanhã, começando com a Team Liquid na Final da chave de baixo. Se eles passarem, eles irão novamente enfrentar a NiP, que estará esperando em uma Grande Final em MD5 com um mapa de vantagem.