Skip navigation (Press enter)

“Nós podemos ter treinado mais do que as outras equipes”: Lagonis sobre a primeira temporada profissional do seu time

Os meninos de ouro foram uma das sensações no ano passado. Será que eles conseguem encontrar a magia novamente?

Image: Ubisoft / @itsmeERROR

Lorenzo “Lagonis” Volpi é um dos melhores jogadores tanto dentro quanto fora do servidor. O Siege não é sua única paixão, ele nasceu com a raquete na mão – Lagonis é um grande fã de tênis. Recentemente ele vêm praticando pádel, outro de seus esportes favoritos.

Esse contexto me deu a chance de o trazer de volta ao Major do México, que é sem dúvidas a melhor memória da Team oNe desde que entraram no Siege. Na época, os jogadores tinham mesas de pingue-pongue na sala de jogos do local – e adivinhem qual time venceu. “No México foi legal! O tênis de mesa foi divertido!” ele ri.

Infelizmente para ele, não houve tênis de mesa no Major da Suécia. A Team oNe não conseguiu defender o seu título de Major, após uma derrota inesperada para a Rogue. “Eles foram super agressivos no Kafe, nós não esperávamos aquilo. Foi a nossa segunda ou terceira vez jogando lá, nós não tínhamos muita experiência,” disse Lagonis.

Sobre o segundo mapa, jogado em Oregon, Lagonis disse que o time cometeu “muitos erros de dronagem e posicionamento.”

A decepção na Suécia foi seguida de uma derrota por 0-2 para a MIBR nas Finais do BR6. Não foi um bom final de temporada para o time.

Ano passado ficará marcado na história como o início da dinastia brasileira. A Team oNe deu à Arthur “TchubZ” Fernandes a permissão de construir um elenco do zero, com o resultado final sendo anunciado dois meses antes do início do Six Invitational 2021. Incrivelmente, no que foi o seu primeiro evento internacional juntos, e com todos os seus jogadores fazendo a sua estréia internacional, o time de ouro derrotou os atuais campeões da Spacestation Gaming, que foi seguido de uma derrota para a Team Empire.

Isso foi também um incrível primeiro contato com a comunidade internacional. O time foi capaz de conquistar os resultados. Eles também tiveram jogadas incríveis –  Karl “Alem4o” Zarth se tornou uma sensação da noite para o dia com a sua performance contra a G2. E com trabalho e experiência juntos, eles criaram uma sinergia que talvez ninguém mais no cenário tenha.

O elenco brasileiro teria a sua vingança alguns meses depois, com a Team oNe derrotando os russos em nada menos do que na Grande Final do Major do México. Cinco meses após juntarem as peças, a Team oNe se tornou campeã mundial. De meninos dourados a homens de ouro. 

Você não pode começar a construir uma casa pelo telhado. O mesmo se aplica aqui, você não pode começar a treinar e pensar em estratégias se não houver sinergia. Bom, você até pode, mas os resultados não serão agradáveis. Um argumento também usado pela FaZe Clan, que recentemente venceu o Major da Suécia – os jogadores decidiram se manter juntos, criar sinergia, e aprender como passar por certas situações de falhas até chegarem à vitória.

Voilà, campeões do Major. Ambas oNe e FaZe.

Lagonis diz: “Nós temos muita sinergia e muito trabalho. Você precisa treinar, precisa conversar. Dá muito trabalho, nós podemos ter treinado mais do que as outras equipes. Nós somos mais jovens, mas nós jogamos muito o jogo.”

É fato que a Team oNe é um dos times mais esforçados do cenário, já que essa é a única forma de compensar por sua inexperiência. Essa é a única forma de alcançar o sucesso em uma região cheia de elencos que estão juntos há anos, passando por experiências e situações de jogo que um time só aprende com o tempo.

A pergunta agora é, será que os times brasileiros conseguem dominar o jogo por muito mais tempo? Nós teremos uma resposta para essa pergunta em menos de um mês, quando o Six Invitational 2022 termina. Lagonis acredita que “os times usaram o Natal para aprender muito, copiar, adaptar e trazer a mentalidade dos brasileiros.”

O Six Invitational será jogado na Suécia entre os dias 8 e 20 de Fevereiro, com a Team oNe tentando conquistar outro troféu internacional e prolongar a dinastia internacional do Brasil.