Skip navigation (Press enter)

Uma carta aberta de um fã brasileiro à NiP, com amor

A incrível vitória dos Ninjas no Six Invitational 2021 atingiu fundo nos corações dos fãs Brasileiros, escreve Caio Volpe Arnoni.

Uma carta aberta de um fã brasileiro à NiP, com amor
This article is translated. Read the original: An Open Letter From a Brazilian Fan to NiP, With Love

Caro,

Gustavo “Psycho” Rigal, João “Kamikaze” Gomes, Julio “JULIO” Giacomelli, Gabriel “pinoFernandes, Murilo “Muzi” Moscatelli, André “Bob” Cardoso e Dyjair “Mity” Soares. 

Após uma longa jornada, finalmente foi a vez de vocês.

(Image: Ubisoft/Kirill B.)

A caminhada, sem dúvida, não foi fácil. Quando parecia que finalmente chegaríamos e nos consagraríamos campeões, ficávamos a um detalhe, uma bala, um round, um de vida.

 Assim foi contra a ENCE nas finais da Pro League em São Paulo, aos gritos de “Vai dar BD, vai dar, vai dar BD, vai dar” ao perdermos o segundo mapa por 6-4, após estarmos liderando por 4-0… o temido 4-0 nos assombraria de novo, mas desta vez no Invitational 2020. Fizemos história. Após uma das mais lindas corridas e melhores performances da história, varremos a Lower Bracket, chegando na final contra Spacestation Gaming já perdendo de 1-0. 

Mas de início isso não parecia importar, ganhamos fácil os dois primeiros mapas e chegando no terceiro mapa nada parecia conseguir nos parar. Iniciamos ClubHouse vencendo por 4-0, inabaláveis. Porém, a SSG foi voltando pro jogo aos poucos e alguns rounds cruciais iam quebrando aos poucos nossos corações. 5-3, Javier “ThinkingNade” Escamilla, 1 de vida, clutch contra Kamikaze.

5-5, Nathanial “Rampy” Duval, 1v3, clutch de biriba. Depois desse derradeiro balde de água fria, tudo havia acabado, não havia último mapa, não havia nada.

Foram 15 meses em suspensão, após aquela derrota nada parecia ser o mesmo. Logo após aquele evento o mundo se fechou, o Covid-19 veio como um furacão destruindo tudo por onde passava. Desde aquele 16 de fevereiro de 2020, tudo ficara em suspenso. Uma ferida em aberto pela derrota que não conseguia cicatrizar em meio a toda loucura que Coronavírus trouxe a nossas vidas. 

O novo Six Invitational, em 2021, me trouxera uma nova esperança. Finalmente, com uma vitória difícil contra a Team Liquid, um peso parecia sair das minhas costas. Um alívio em meio a todo caos, a cicatrização de uma ferida que estava aberta há 15 meses.    

Me impressiona como podemos nos sentir tão atrelados e próximos de alguém, mesmo sendo tão distantes. As derrotas duras que vocês sofreram durante os anos, as grandes vitórias, foram também sentidas em pessoas que vocês nem imaginam. Deixando dias mais felizes, ou até mais tristes. 

A paixão que vocês passam jogando reverbera em quem os acompanha. Vocês são modelos e espelhos para muitas pessoas, e a resiliência que tiveram ao decorrer desses anos, mesmo após as mais duras derrotas, é algo incrível.

Queria ter a liderança do Psycho, a tranquilidade do pino, a paixão do Kamikaze, a humildade do Muzi e a resiliência do Julio. Muito obrigado por tudo que vocês nos deram até hoje, é um prazer poder acompanhar a jornada de vocês. 

Com grande admiração,
Caio Volpe Arnoni.