Team oNe eSports: A nova força da América Latina

Go back to News

SiegeGG falou com a Team oNe pouco antes do Allied Esports Minor para saber mais sobre o time e como eles pretendem enfrentar a sua primeira temporada na Pro League.

This article is translated. You can find the original here: Team oNe eSports: LATAM's New Powerhouse

Raramente nós vemos ascensões meteóricas ao sucesso. E é isso que as torna tão especiais de se acompanhar. Mais raro ainda é ver a história se repetir.

A Team Empire demorou a ser reconhecida, mas a história deles certamente não é desconhecida agora. Subindo por toda a Challenger League, eles destruíram a competição até chegarem à Pro League, e ganharem o título em sua primeira temporada. Agora, ao que parece, a Team oNe quer repetir o feito.

Eles atravessaram por toda a 9ª temporada da Challenger League (CL) na América Latina, e foram uma das duas equipes da CL LATAM a causar sérios desafios na qualificatória do Six Invitational 2019. Desde então, eles não olharam para trás

A pontuação da Challenger League de 10 vitórias, 4 empates e nenhuma derrota, foi seguida de uma incrível qualificatória para o Allied Esports Minor na qual eles não só derrotaram a rebaixada da Pro League paiN Gaming, como também a Black Dragons e também a melhor colocada da LATAM, FaZe Clan.

Não surpreendentemente, o time passou pelos playoffs da Challenger League, vencendo primeiro a Guidance Gaming seguido da YeaH Gaming por dois mapas a zero em ambos os confrontos. Agora, o time mira no Allied Esports Minor esta semana em Las Vegas, antes de retornar para casa e possivelmente atingir o topo da América Latina assim como a Team Empire fez na Europa.

Kaique “Faallz” Moreira, Tassus “reduct” Issi, Luiz “SKaDinha” Vinicius, Renato “rhZ” Costa, Luca “LuKid” Sereno formam o elenco principal, enquanto Matheus “Budega” Figueiredo é o coach e Igor “Vivas” Vivas ajuda como analista e ainda joga se for necessário. Ainda mais, com a ajuda de uma organização respeitável como a Team oNe, eles atingiram tudo para entrarem na categoria dos grandes times. Agora só falta eles se concretizarem como um.

No entanto a Team oNe não é iniciante na Pro League, tendo participado anteriormente com os jogadores que hoje fazem do elenco da Black Dragons em Janeiro de 2018. Lá, a organização terminou a temporada 7 da Pro League em um terceiro lugar compartilhado, seguido de um terceiro lugar definitivo na temporada 8, após a qual a Black Dragons adquiriu o elenco. Agora a organização retorna com possivelmente o elenco mais novo da Pro League -- SKaDinha e LuKid tem apenas 18 anos, o capitão Reduct 19 e Faallz e rhz ambos com 20 anos de idade.

O elenco da Team oNe eSports

Composta apenas de players que nunca participaram de uma Pro League antes -- com exceção de Faallz que jogou algumas partidas como substituto do antigo elenco da Team oNe na temporada 8 -- os feitos da Team oNe não são nada além de extraordinários. Que infelizmente, passam quase despercebidos devido a baixo acompanhamento da Challenger League da América Latina.

Para saber mais sobre a Team oNe, o SiegeGG falou com o elenco para saber mais

Para começar, você pode nos dizer mais sobre os jogadores e seus papéis?

Vivas:

Nosso time consiste de 2 fraggers (SKaDinha, que é o jogador com mais kills de abertura e que sempre ganha nas trocações e LuKid, que é que sempre brilha nos momentos mais cruciais da partida) e 3 jogadores que não possuem posição definida e que variam entre as funções de suporte e de intermediários (Reduct é o Líder in-game, rhZ é quem sempre nos dá mais proteção para a execução das táticas e Faallz que é nosso faz-tudo).

E, é claro, o Budega que como Coach, nos guia pelas suas táticas e idéias, e finalmente, eu que trabalho na parte de analista de jogo, onde eu ajudo o time com avaliações dos treinos e adquirindo informações dos outros times.

Vocês conseguiram incríveis 10-04-0 na Challenger League da América Latina, e seu time não perde desde as qualificatórias para o Six Invitational. Como vocês conseguem manter um nível tão alto de jogo?  

Reduct:

A tabela da Temporada 9 da Challenger League na América Latina

Nós mantemos o nível de jogo pois aprendemos uma maneira diferente competir, especialmente no lado psicológico, nós estamos tentando nos manter agressivos e não ter medo de arriscar ao máximo.

Alguns rotularam vocês de “Team Empire da América Latina”. Vocês discordam dessa afirmação?

rhZ:

Não, eu não discordo já que nós estamos repetindo tudo o que eles fizeram desde o início da Challenger League, vencendo sem perder nenhum jogo (qualificatória, liga e playoffs). E agora as pessoas estão nos chamando de a nova Team Empire por esse motivo, então nós queremos manter isso e quem sabe nós conseguimos terminar a Pro League sem perder também.

O quanto os recursos de uma organização como a Team oNe ajudam?  

rhZ:

A Gaming House da Team oNe

A Team oNe nos ajudou demais, nós fomos o primeiro time a receber esse tipo de investimento (Gaming House e pessoas trabalhando nos bastidores) em um segundo escalão, e eles ainda nos deram essa estrutura antes mesmo de nos classificarmos para a Challenger League o que nos deu uma confiança enorme.

O seu time venceu a FaZe Clan de forma espetacular e depois se classificou para o Allied Esports Minor. Como vocês se prepararam para isso e como você irão se preparar para o Minor?

Budega:

Nós não tivemos muito tempo para nos preparar para o Minor, já que estávamos focando principalmente para os Playoffs da Challenger League. Para a nossa partida contra a FaZe, nosso estilo de jogo se encaixa muito bem contra eles e nós só tínhamos as informações dos nossos treinos juntos. Mas para o Minor já que nós tivemos tempo para juntar mais informações e entender melhor cada time, vocês podem esperar nós mais preparados para jogar contra qualquer time.

Vocês enfrentam a Rogue na sua primeira participação presencial e primeira partida internacional. Estão nervosos?

Reduct:

Times a se observar segundo os players para o Allied Esports Minor

Não existe pressão do nosso lado, nós estamos trabalhando isso com o Ian, nosso psicólogo, que vai conosco para o Minor para que nós não fiquemos nervosos no presencial, não importa o time que nós vamos enfrentar e não importa qual campeonato vamos jogar.

Como é um dia normal de treinamento para o time?

Budega:

Primeiro tem um treinamento individual que depende do jogador, alguns preferem jogar Caça terrorista e outros preferem jogar partidas rankeadas. Depois nós vamos para um treino tático de 1 a 2 horas onde eu normalmente mostro novas táticas que eu preparei para o time. Depois nós fazemos 2 sessões de partidas-treino contra algum time de PL ou CL, cada sessão consiste de 2 a 3 mapas.

Na sua temporada de estréia na Pro League vocês enfrentarão times como Immortals e Faze regularmente. Quais são as principais melhorias que seu time está procurando fazer para conseguir jogar bem constantemente contra eles?

Faallz:

IImpor nosso estilo de jogo é um fator importante contra times mais fortes e nós também estamos procurando melhorar nossas mudanças em meio de partida para se adaptar melhor contra times nacionais e internacionais de Pro League.

Tem alguma mudança no elenco prevista para antes da Temporada 10?

Faallz:

Na verdade, não, nós somos um time que está junto desde o começo no PS4 em 2017 (tirando o SKaDinha) e eu acho que isso reflete nos resultados atuais, então nós não queremos mudar agora.

Mais alguma coisa que gostariam de falar para os seus fãs?

Reduct:

Eu costumo dizer que nós somos diferentes de todos os outros times do mundo e todo dia nós estamos provando isso, para os fãs, eu posso dizer só que estamos sempre dando 100/5 para que nós possamos dar felicidade para eles

---

A próxima aparição da Team oNe será no Minor de Las Vegas e com a Temporada 10 da Pro League já garantida. Você pode conferir nossas entrevistas anteriores com outros times (em inglês), Soniqs aqui e Natus Vincere aqui e fique de olho aqui no SiegeGG para mais entrevistas na próxima semana.